News

Cinco dicas para criar negócios de sucesso no mercado da música





No primeiro dia de conferências da SIM São Paulo, realizada no Centro Cultural São Paulo, um discurso prevaleceu: quem quiser viver da música precisa repensar seu modelo de negócio. Depois da virada do mercado, que não permite mais a existência do “super star” e nem a do empresário todo poderoso, ao menos no midstream, é preciso que os artistas tenham mais controle da própria carreira.

Empresários e produtores convidados para as disputadas mesas “Produtor Não É Canivete Suíço” e “Música Ilimitada” discutiram o tema e também foram categóricos sobre a inviabilidade da taxa de 20%, cobrada dos músicos em relação ao que eles produzirem. Instituída em outro momento da indústria fonográfica, não faz mais sentido nos dias atuais. “A conta simplesmente não fecha”, explicou Heloisa Aidar, dona da Pommelo Produções, focada em produção cultural e distribuição.

Mariana Aydar, cantora e CEO da Brisa Sons e Ideias, que cria para TV e publicidade

O novo cenário, apontam os especialistas, sugere a fomentação de uma rede eficaz e complementar de profissionais da área, no qual a figura do artista segue na base da pirâmide, mas não apenas na criação. Ele precisa “ir ao escritório” e assumir outras funções, como ter consciência dos números do seu perfil no Spotify ou criar novas alternativas para monetizar seu trabalho, por exemplo. O que, quase como uma consequência natural, favorece a criação de novos modelos de negócio e possibilidades de parceria.

Um exemplo é a Brisa Sons e Ideias, produtora de áudio lançada em março deste ano pela empresária Heloisa Aidar ao lado da cantora Mariana Aydar e do multi-instrumentista Marcio Arantes. A ideia é associar músicos independentes à publicidade, ao cinema, à TV e à internet. E já rendeu projetos para o estilista Reinaldo Lourenço e para a marca de roupas carioca Farm, para os quais foram criadas trilhas inéditas.

Num momento em que ser artista e empreendedor parece ser uma tendência a se firmar, seguem cinco dicas de quem já está se adaptando a este formato para você também criar negócios de sucesso no mercado.

A cantora Tiê em discussão sobre novos negócios da música no primeiro dia da SIM SP

1- Tenha parceiros, não funcionários.
“Se você está começando a carreira, encontre alguém que se apaixone pelo seu trabalho e convide-o para ser seu parceiro. E entenda parceria aqui como uma via de duas mãos. Tem vezes que vocês vão ganhar nada. Tem vezes que vão ganhar mais e, aí, por exemplo, pode pagar em dobro. À medida que a banda cresce, cresce a rentabilidade e a possibilidade de crescer a equipe, profissionalizar.” (Débora Campos, QueVoa/MG)

2- Artistas, promovam-se – mesmo que para isso vocês também precisem atuar.
“No início da carreira eu criei a personagem Telma Flores, uma secretária fictícia que negociava os meus shows, já que muitos contratantes tinham dificuldade de lidar comigo, a própria artista. Eu até fazia uma voz grossa no telefone” (Tiê, cantora e compositora)

3- Fomente a criação da rede.
“Para o booker vender o show ele precisa de uma assessoria de imprensa eficiente que coloque o artista em evidência, que, por sua vez, precisa do artista produzindo coisas bacanas. E por aí vai. A gente precisa criar uma rede conectada e que não dependa muito de nós, a figura do empresário, e se retroalimente.” (Verônica Pessoa, da Pessoa Produtora)

4- Conheça as funções da cadeia produtiva e encare a sua como um trabalho qualquer.
“Ao criar a [produtora] Brisa, passei a ter prazos para entregar as composições com as quais me envolvo. Isso influenciou positivamente no meu processo criativo. Porque na publicidade não há tanto esse tempo livre de criação, quase um sabático. A publicidade lida com outro tempo. Com isso fiquei mais ágil.” (Mariana Aydar, cantora e CEO da Brisa Sons e Ideias)

5- Roube como um artista.
“Não tente copiar, até porque muitas vezes o que dá certo para uma banda, não funciona para outra. Mas pesquise cases de ‘sucesso’, projetos que você admira, para se inspirar. E, então, adapte-os para a sua realidade, torne aquilo seu, a cara da sua banda. As chances de dar certo são maiores.” (Tomás Bertoni, guitarrista da banda Scalene e um dos idealizadores do Rockin’ Hood/DF)

*foto Filipa Andreia e Nina Pires

Ouça a playlist The Best of SIM São Paulo no Spotify!

 

 

  • contato
PRODUÇÃO / PRODUCTION
INFO@SIMSAOPAULO.COM
ASSESSORIA DE IMPRENSA/PR
PRESS@SIMSAOPAULO.COM