News

Três dicas matadoras para criar uma playlist de sucesso no Spotify





Aposta do Spotify, o DJ Alok se tornou o primeiro brasileiro a ultrapassar o número de 100 milhões de audições. Em outubro de 2016, ele tinha 650 mil ouvintes mensais. No mês seguinte, “Hear Me Now”, foi adicionada em playlists de música eletrônica, como Eletro BR e Pop Brasil. Em dezembro, já eram mais de 7 milhões de ouvintes mensais, relatou o jornal Estadão. E isso são apenas alguns números. Moral da história: saber usar essa tecnologia pode ser bastante útil – até para artistas do mainstream.

Esse foi o tema da mesa “Alavancando sua música no streaming: o papel das playlists”, realizada no segundo dia de convenções com Yasmin Muller (Deezer) e Fábio Santana (Vevo). Para não abusar da sorte e nem ficar dependente dos editoriais das plataformas sob os quais não há controle – a não ser que você seja contratado para isso –, a mediadora do encontro Juli Baldi, do Banana’s Music, dá dicas de como criar listas bacanas e impulsionar sua banda.

Convidados da mesa “Alavancando sua música no streaming: o papel das playlists”

“Uma playlist deve ser encarada como um conteúdo feito pelo artista. Os fãs gostam de saber as influências de um disco ou até mesmo o que o músico que ele gosta está ouvindo no momento. É um material que pode ser utilizado como ferramenta para atingir mais pessoas”, explica Juli. “Assim, com o tempo, ele pode aumentar sua base de seguidores e quando lançar um single, por exemplo, pode transmitir o trabalho com mais eficiência”, complementa.

Especialista em curadoria e estratégia musical para marcas, Juli dá três dicas para criar uma playlist de sucesso.

1- Pense num mood.
Por exemplo: se você ama café da manhã, conte para o seu público as músicas que você costuma ouvir nesse momento do dia. Se a sua for mais abraçar a dor de cotovelo, selecione aquelas para embalar o choro com direito a sorvete direto do pote.

2- Super interessante.
Mostre conhecimento em algo específico. Específico mesmo. Como música ativista iraniana. Ou algo inusitado, que pode surpreender as pessoas. Como bandas super indies que – ninguém imaginaria – fazem trilhas para video games.

3- Mix and mingle.
Coloque a sua música no meio de outras músicas e artistas que você gosta muito, mais são conhecidos. E aí, vale até misturar Britney e Bethânia. Desde que respeitando uma lógica crescente para transitar entre elas sem ficar esquisito.

E, claro, divulgue muito em outras redes. Mande o link nos grupos de Whatsapp e espalhe para o mundo as suas crias. Se quiser saber mais, o Bananas Music fez uma lista com um TOP 10 para a SIM São Paulo. Confira aqui:

 

  • contato
PRODUÇÃO / PRODUCTION
INFO@SIMSAOPAULO.COM
ASSESSORIA DE IMPRENSA/PR
PRESS@SIMSAOPAULO.COM